27 julho 2011

Rapidamente!

A gente faz umas coisas, né?
Não é que eu goste de me testar, mas às vezes acontece!

Segunda-feira, dia 25 de julho e eu lá, pronta para dar minha cara à tapa, finalmente encarar a "fera" e atender, mais uma vez, à minha vontade.. mas não foi como planejado, apesar de cogitado a ocorrência. Achei que eu fosse "covardiar", mas esse papel caiu sobre outra pessoa. É a única opção que enxergo. Mas okay, qualquer hora, se a vontade voltar, eu tento matá-la. rs..

Terça-feira, dia 26 de julho, quando acho que me superei.. me vejo conversando com o Gabriel e à tarde, em frente ao local onde eu deveria ter matado a vontade da segunda, eis que me supero! Seguimos pelo Largo dos Leões, Túnel Rebouças, Leopoldina, Ponte Rio Niterói (aqui foi patético) e, já sozinha e a pé, Avenida João Brasil. Caminhar é bom pra cabeça, até mais do que para o físico! Ô se é! hahaha..

Depois de uns 15 minutos de reflexão, concluo que: "É, mais uma vez você teve certeza, né Ana? Mas você já teve dúvida?" hahaha..
Mais uns 15 minutos e concluo que: "Não é bem assim, não existe essa de 'gosto mais disso do que você', simplesmente se gosta (nem cabe o 'ou não'), não dá pra medir, escolher.. e mais do que isso, tem que haver um mínimo de qualquer coisa para algo existir, se não há nada, nem tem como ter mínimo."







Ou seja, não dá pra dizer que não gostamos de algo só porque não tivemos o mínimo de vontade naquele momento e isso pode se estender para muita coisa. O óbvio está no exato momento que acontece, é nessa hora que temos certeza se queremos ou não aquilo, é no momento que temos todas as certezas, depois é depois, não aconteceu, não dá pra prever, por mais convicção que se tenha! Alguns podem achar que há uma tentativa de convencimento, dúvidas, mas passo longe disso nesse momento, só não dá para ser tão categórica em algo que não está em nossas mãos. Além disso, mudamos de ideia em 15 minutos.. até menos! Eu então, minha especialidade! hahaha..





E hoje, dia 27 de julho.. hein? rs.