26 agosto 2011

Meu Divã (Deus nele?)

Preciso.

Nesse momento só preciso parar de tossir para todo um ciclo iniciar: dor de cabeça ir embora, conseguir tirar meus cochilos dentro do ônibus (somam, pelo menos, 1 hora de sono) e não ficar irritada.

Mas por que preciso escrever? Porque é quando estou no divã comigo. Sim, comigo mesmo. rs.

Sou tão chatinha quando estou em busca de algo que é sério para mim, para minha vida. Já sei que a faculdade não será moleza, mas sei também que as dificuldades maiores podem não ser referentes ao aprendizado, a provas ou a notas. É meio como no meu "lema": para as minhas ações o resultados serão as consequências (positivas ou negativas) da minha responsabilidade. Agora, e quando não depender apenas de mim? Aí que o bicho pegará, pois vou parecer a "chatinha". Se bem que.. já digo que me equivoquei, o correto é comprometida e sem aspas, nada de chatinha!
Se eu fosse fazer uma linha imaginária referente à minha vida a melhor palavra para sinalizar esse momento é comprometimento. Comprometimento comigo, com a carreira que escolhi, com meu presente, com meu futuro, com a minha vida. Uma faculdade, ou a faculdade, é um ponto nessa história toda, é o meu investimento, é o início de uma trajetória. Não tenho dúvidas de que muitos que estão dentro de sala de aula mal escutam o que o professor diz, se quer sabem o que estão fazendo lá dentro ou apenas querem saber se aquele conteúdo constará em alguma apostila, pois terão que estudar um dia antes da prova pra tentarem garantir uma boa nota, para tentarem ser aprovados, para tentarem se formar, para tentarem se tornar capazes de entrar no mercado de trabalho, para tentarem, tentarem e tentarem. Bem, o que sei é que esse não é o meu caso. Não estou lá para um dia tentar alguma coisa, estou lá para aprender e um dia fazer esse conhecimento acontecer.

Ainda não estou reclamando de nada, AINDA! Calma. rs. Mas precisava deixar constatado isso por aqui. Não estudo por notas, ouso até em dizer que não estudo pela carreira, estudo para ter conhecimento e, principalmente, para saber aplicá-los futuramente. E mais, tudo isso é por mim e pelos planos que tenho para a minha vida. Estamos no século XXI e não fujo à regra do individualismo que nos cerca. Quero o melhor de mim, para mim e para os que amo.
Certamente buscarei desenvolver o melhor de cada projeto e quem não estiver com essa ideia que será meu desafio. Por que será um desafio? Porque eu não ligo para os objetivos alheios desde que não me prejudiquem. Se quer fazer, faz, se não quer.. não me atrapalhe! Imaturidade já me deu "tchau" há tempos, só aparece quando aqueles impulsos, quase físicos, surgem.. o que nada tem a ver com carreira, estudos ou objetivos, pelo contrário, tudo momentâneo! rsrs.

Quanto "blábláblá", né? Ah, deu vontade de expor. Mas não é indireta para ninguém, até porque esse espaço é bem pessoal, embora nada restrito. Só quis deixar registrado a que vim. hehehe.

Mas então.. a vontade de escrever veio anteontem, durante a aula de Estudos da Comunicação, com a professora Karen Gimenez.
Veio porque ela fez algumas referências que logo se enlaçaram com várias coisas na minha cabeça. Na verdade nada direcionado à aula em si, só foram alguns momentos, nada que desprendesse minha atenção de uma das aulas que mais tenho curtido na faculdade.
Não me recordo a ordem, mas ela citou a tragédia do Bumba, que logo me fez lembrar de Tathiana e minha feição mudar na hora! Acho que qualquer notícia sobre tragédias semelhantes sempre farão Tathi vir à memória. E só, né? (...)
Mas falando em feição.. ela também fez algum breve comentário sobre isso. Logo lembrei de quem? De mim, oras! hahahaha.. Deixo tudo tão na cara.. preciso ser mais atriz, me entrego facinho, facinho! rsrs. Mentira, adoro ser assim.. não preciso me explicar muito. rsrs.
Partindo para a citação que mais me parou.. não foi nada demais, mas deu uma boa reflexão na minha mente em uma fração de segundos, tipo em sonho, que conseguimos ir ao Japão durante um cochilo! Não lembro bem como foi, mas a Karen disse algo a respeito de Deus, ou fé, ou religião, não sei bem, algo assim, mas querendo dizer que a gente sempre acaba "recorrendo" desses "socorros" para desabafar, para pedir ajuda ou coisas do tipo. Eu faço? Na mesma hora eu respondi que não, pois não faço mesmo. Não procuro Deus para desabafar, aliás, não procuro Deus. Isso assusta um pouco algumas pessoas, óbvio. Mas não quer dizer que nunca tenha procurado ou que eu duvide de Sua existência. Mas o que quero dizer é que na hora em que não estou bem, precisando de ajuda, de conforto, de ouvidos são aos meus amigos que recorro, eles são o meu conforto. Nem vou começar a falar deles, pois não irei parar. Só digo uma coisa, ninguém é mais abençoado que eu, pois iguais aos meus amigos eu tenho certeza absoluta que os seus não são! E assim, tesouro só tem um, foi mal, mas eu cheguei primeiro e ninguém irá roubá-los!! rsrsrs. Mas voltando, nessa hora eu refleti rapidamente sobre a , aquela que nem sei como existe dentro de mim ou onde está, e na minha estrutura maior, meu verdadeiro dique, meus amigos.






Já disse o que eu queria dizer, vou dormir! Enrolei pra caramba, nem escrevi como eu gosto.. mas tudo bem, hoje eu fui mais livre! hahahaha..